Parque Arqueológico da Arrábida

As Câmaras Municipais de Setúbal e Sesimbra, a Casa de Calhariz e aFaculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa  assinaram, no passado mês de Setembro um protocolo com vista à criação do Parque Arqueológico da Arrábida.
A razão para a criação deste parque deve-se à forte presença de peças de grande valor arqueológico, entre os concelhos de Sesimbra e Setúbal. Este facto foi constatado a quando da elaboração da Carta arqueológica de Sesimbra:


Roça do Casal do meio. Fonte:PhotoArch
Terras do Risco, uma área bastante extensa da Idade do Bronze, que terá sido um povoado naquela Época.
Lapa (gruta)da Cova, Santuário Fenício que indica o contacto com os fenícios( Idade do Bronze)
Monumento Funerário Fenício da Roça do Meio. Foram encontrados objectos característicos de populações mediterrânicas, assim como vestígios de outros períodos.
Com toda esta riqueza arqueológica existente na Roça do Casal do Meio foi colocada a hipótese  de construção de um parque arqueológico, não só com objectivos didácticos, mas também turísticos.
A participação da Câmara Municipal de Setúbal neste projecto deve-se a que parte dos terrenos onde está localizado o povoado estarem sobre jurisdição da autarquia sadina. A Casa de Calhariz também se mostrou interessada neste projecto.
Divisão de tarefas
A cargo da Faculdade de Belas Artes de Lisboa ficará todo o trabalho técnico relacionado com a arqueologia da zona abrangida pelo futuro Parque.
As Câmaras de Setúbal e Sesimbra comprometem-se a financiar o Projecto até 2013. Este financiamento será, no total de, 90 mil euros e assegurará toda a parte logística necessária para assegurar a parte técnica do projecto.
Santuario Fenício da Lapa (Gruta) da Cova,fonte:SAFA

Actividades que serão realizadas
Serão realizados passeios culturais, uma exposição sobre o monumento da Roça do Meio, um ciclo de palestras, acções de educação patrimonial, em articulação com as escolas dos dois concelhos.
Reacções dos signatários
Para Pedro Holstein Bek, representante da Casa de Calhariz “Este projecto a níivel Cultural tem um dos achados arqueológicos mais importantes a nível Europeu. A nível ambiental irá permitir disciplinar o trânsito de pessoas bicicletas e motas que entrar na Serra sem qualquer controlo e que se repercute de forma negativa no ambiente e do ponto de vista económico irá fortalecer o turismo regional e nacional, indispensável à sua sustentabilidade”.
Para José Luís Gonçalves é preciso “criar uma âncora na Serra da Arrábida que atraia pessoas para dinamizar o local”. “É necessário haver um desenvolvimento na região aos níveis turístico, pedagógico e social”,
Maria das Dores Meira admite que a criação dum parque arqueológico “vai ser um marco histórico da região e do país”
Augusto Pólvora salienta o facto de “a ajuda financeira prestada por ambas câmaras que, até 2013 subsidiam em 90 mil euros a Faculdade de Belas Artes para conduzir a recolha de conteúdos museológicos para o futuro Parque Arqueológico, ter como principal objectivo a “realização do sonho que é este projecto”.

Fonte:

Jornal “O Sesimbrense” nº1154 de 27 de3 Setembro de 2011
 
Setubal na rede , texto visualizado a 17/10/2011

Finisterra- Arrábida Film

Miradouro a Serra da Arrábida
No próximo ano de 2012 terá lugar na Vila de Sesimbra o Finisterra Arrábida Film. Trata-se de um Festival de filmes de Turismo. Este evento pretende premiar conteúdos audiovisuais nacionais e internacionais que promovam o Cabo espichel, a Arrábida e Sesimbra como destino turístico.
A apresentação deste evento foi feita na I Mostra de filmes de Turismo de Sesimbra que decorreu no passado mês de setembro, pelo fotógrafo Carlos Sargedas, principal promotor deste evento.
O Finisterra Arrábida Film contará com várias secções que vão desde o documentário ao filme publicitário.
Cabo Espichel, Sesimbra
Este Festival terá apoio de outro Festival, o Art & Tur, evento do qual o Finisterra foi incorporar algumas das suas características, que se realiza anualmente na cidade de Barcelos.

A apresentação do Finisterra contou com a presença o Presidente da Câmara Municipal de Sesimbra, Augusto Pólvora, para quem este evento poderá ser o Evento de referência previsto no Plano Estratégico de Turismo de Sesimbra, tal como existem outros previstos para a região que o poderão vir a sê-lo.
Vista noturna de Sesimbra
Outra das personalidades presentes na apresentação do Finisterra foi o Dr Francisco Dias, Diretor do Art & Tur, para que um Festival com as características do Finisterra Arrábida Film não pode apenas esgotar-se no Cabo Espichel, na Serra da Arrábida e em Sesimbra. Para Francisco Dias a região tem muito mais a ganhar se for promovida como um todo atraindo, para si, as atenções de todos .
Para o ano , espero estar a dar mais informações sobre o Finisterra, Arrábida Film.
Fonte:
Jornal “O Sesimbrense”, nº1154 de 27 de setembro de 2011

Arte de pesca da xixa, Praia do Monte Baixo, Alfarim, Sesimbra, Portugal

Longe de pensar de ter dum fim de tarde tão bonito com a minha mulher e a minha filha. Vimos algo inesperado esta tarde. Um grupo de pescadores pescar com a arte de pesca da xixa, não sei se é assim que se escreve, mas este termo é de Sesimbra.

Esta Arte de Pesca consiste, pelo que percebi, em deixar as redes no mar, como se a própria rede formasse uma cerca e mais tarde puxá-la a partir de 2 pontos diferentes, unindo-os.

Para todos os que estavam naquela praia foi um fim de tarde deslumbrante. Ver aquele de grupo de homens entre os 40 e 60 e muitos anos fazer aquele trabalho. Uma coisa que começa a ser bastante rara hoje em dia

As fotografias e os clipes de Vídeo foram tirados esta tarde na praia do Monte Baixo, perto de Alfarim, em Sesimbra, Portugal.
Peço a quem esteve nesta praia e tirou fotografias ou vídeos, ou mais esclarecimentos à cerca desta arte de pesca o favor de os partilhar aqui no blog. Podem enviar as vossas fotos, deste o momento para omeuturismo@hotmail.com

Dia Mundial da Música

Dia 1 de Outubro é dia Mundial da Música. Este dia começou a ser comemorado  em 1975 e foi instituído pelo International  Music Council .
Casa da Musica, Cidade do Porto, fonte: Facal
Assumindo qualquer género , a música é, para muitos, algo que contem uma mensagem universal a todos os povos. Transmite emoções e sentimentos que não precisam de tradução para serem sentidos. Pode ser escutada, interpretada ou escrita em qualquer lugar, no carro, em casa ou pela rua.
Assumindo a versão imaterial do património de um povo, a música ajuda a caracteriza-lo  e a identifica-lo. Não é por acaso que ligamos o Fado a Portugal, o Samba ao Brasil, o Flamenco à Espanha ou a Ópera à Itália.
Neste dia Internacional da Musica ouça-a , sinta-a, e se for portuguesa, melhor.
Fonte:

Portal Cen