Inclusive infrastructures adds value to Tourism.

Versão Portuguesa

The Inn Mindo Lago offers appropriate ramps for wheelchairs throughout its occupated area.

Visiting new places and enjoy the Nature has always been the passion of Mercedes Narvaez, 94 years old. Although she has not always been able to do all the traveling she liked. Mainly because tourist infrastructure did not give her the facilities to move deftly, in a wheelchair.

 But every year  more places that take account of disabled people or elderly people with walking difficulties.

 The wheelchair, which uses the since 2 years old, became the companion of all her travels. This week was the Arasha Inn Resort & Spa, along with their daughters and grandchildren. The advantage of this place is that there are ramps for access to all spaces.

The bathrooms are the closest to the reception, the bathrooms are large to enter wheelchair and moreover have tubes placed in the walls so that the guests can cling to them while relaxing in the bath.

Bernardo Garzón, owner of the Inn Mindo Lago, this adds value to the service, which is highly valued by families. Recalls that when he started his activity in the Inn (2005) were held nightly walks, one attractive to people, but not for those who had walking limitations.

 Even on one occasion, one of the participants had to carry his daughter throughout the route. Now have ramps and the place has lighting for easier access.

 Narváez appreciates the fact of not having to climb stairs to get to the bathroom. This causes pain in the legs and turns into a migraine. More exhausted than when it ends a road trip of their hours from Quito to Arasha.

She plays with young people who are approaching the car to help her out. “Watch I am strong”, warning them.

Are part of the Inn staff. They are in charge of taking her to the bedroom and show you where is the pool. There is Mariana Paredes, another frequent tourist.

The pool is one of his favorite places, because it has a ramp that allows you FRUI it. The legs become painful arthritis in the stairs of public pools. This type of infrastructure responds to a national campaign that the Ministry of Tourism has been promoting from the private tourism sector, since 2012.

 Furthermore, it was possible to publish a Manual of accessibility for places of accommodation. Therein the terms and conditions of the places are specified, to be considered accessible. The manual was distributed in various hotel companies so that they can apply it in their infrastructure.

So far it has been upheld. Baños in Tungurahua province, is one example. Affordable City was declared due to the construction of access ramps to the main tourist sites and signaling.

 Also gained international recognition as the Prize of the Society for Accessible Travel & Hospitality Award and Queen Sofia of Spain, in 2010 Las Granadillas The hostel is a reference.

 It has three floors and all are connected by a system of ramps. The doors are wide, precisely to give access to wheelchairs.

Its owner, Alfonso Morales, started this project in 2005 his life Traveller influenced your decision. It was also complicated go  to his favorite tourist places because they had no infrastructure that should be inclusive and facilitate mobility in a wheelchair. Something similar happened with Patricia Agirre, but in another corner of the country: in Mindo.

 Her grandfather used wheelchair during his last years of life, through it realized how hard it is to be able to enjoy with his family the other tourist places in free time.

She opened the hostel Birdplanet. It has a ramp in the dining room and a adapted room. The Inn is inclusive tourism a year ago. Specializes in care for people with disabilities abroad. Receives 8 people per month on average.

Pablo Marañón hosts the same amount in his  Inn Huasquila  Amazon Lodge. Is in the province of Napo. Has seven rooms, which were built five years ago, since it soon became clear the need for an inclusive infrastructure. Travelers arrived and had not communities. Also the paths were adapted to people with visual disability can circulate.

According to the Ministry of Tourism, one of the reasons why the sector turned over for inclusive tourism was the demand .

In a report published in 2012 by portfolio, it is specified that about 6 million people with a disability travel annually for tourism and recreational reasons a Global scale. Furthermore. It is estimated that the 125 millions of people seeking this service in Europe, 70% of them have financial resources to frequently travel abroad.

 Currently is developing a strategic planning Accessible Tourism, to know the number of tourists with disabilities moving in Ecuador and the number of accessible places.

 The study is being done in the provinces of Imbabura, Pichicha, Tungurahua, Napo and Guayas, according to Pamela Green, Technical Area Director of Products and Innovation. Will be ready in November.

 

Source: “El Comercio”
               Turismo Adaptado
 
 
Advertisements

A infraestrutura inclusiva acrescenta valor ao Turismo.

English Version

A Pousada Mindo Lago dispõe de rampas apropriadas para cadeiras de rodas em toda a sua área de ocupação.

Conhecer novos lugares e disfrutar da Natureza sempre foi a paixão de Mercedes Narváez, de 94 anos.  Embora nem sempre tenha podido fazer todas as viagens que gostava. Principalmente porque a infraestrutura turística não lhe dava as facilidades para movimentar-se com destreza, numa cadeira de rodas.

Mas a cada ano mais lugares que têm em conta as pessoas com deficiência ou idosos com dificuldades em caminhar.

A cadeira de rodas, que usa desde os dois anos, converteu-se na sua companheira de todas as viagens.  Esta semana esteve na Pousada Arasha Resort & and Spa, juntamente com as suas filhas e netos. A vantagem deste lugar é que há rampas para aceder a todos os espaços.

As casas de banho são as mais próximas da receção, as casas de banho são amplas para entrar com cadeira de rodas e além disso têm tubos colocados nas paredes para que o hóspede possa agarrar-se a eles enquanto relaxa no banho

Para Bernardo Garzón, proprietário da Pousada Mindo Lago, isto acrescenta valor ao serviço, que é muito valorizado pelas famílias. Recorda que quando iniciou a sua actividade na Pousada(2005) realizavam-se caminhadas noturnas, um atrativos para as pessoas, mas não para aquelas que tinham limitações de marcha.

Inclusivamente numa ocasião, um dos participantes teve que carregar a sua filha durante todo o percurso. Agora têm rampas e o lugar tem iluminação para facilitar o acesso.

Narváez valoriza o facto de não ter que subir escadas para chegar à casa de banho. Isso causa-lhe dor nas pernas e transforma-se em enxaqueca. Mais do que  quando termina exausta uma viagem de carro de suas horas de Quito para Arasha.

Ela brinca com os jovens que se aproximam do carro para ajudá-la a sair. “Cuidado que sou forte”, avisando-os.

São parte do pessoal da Pousada. Eles encarregam-se de levá-la ao quarto e mostrar-lhe onde fica a piscina. Alí está Mariana Paredes, outra turista assídua.

A piscina é um dos seus lugares preferidos, porque tem uma rampa que lhe permite fruí-la. A artrite nas pernas tornam dolorosas as escadas das piscinas públicas. Este tipo de infraestrutura responde a uma campanha nacional que o Ministério do Turismo  tem vindo promover junto do setor turístico privado, desde 2012.

Além disso, foi possível publicar um Manual de Acessibilidade para os locais de alojamento. Nele são especificadas as condições e regras dos lugares , para que sejam considerados acessíveis. O manual foi difundido em várias empresas hoteleiras para que possam aplica-lo nas suas infraestruturas.

Até agora tem sido acolhida. Baños, na provincia de Tungurahua, é um exemplo. Foi declarada Cidade Acessível devido à contrução de rampas de acesso aos principais lugares turísticos e à sua sinalização.

Também obteve reconhecimento internacional como o Prémio da Society for Accessible Travel & Hospitality e o Prémio Rainha Sofia de Espanha, em 2010. O hostel Las Granadillas é uma referência.

Tem três pisos e todos estão ligados por um sistema de rampas.  As portas são largas, precisamente para dar acesso a cadeiras de rodas.

O seu proprietário, Alfonso Morales, iniciou este projeto em 2005. A sua vida de viajante influenciou na sua decisão.  Também lhe era complicado ir aos seus lugares turísticos preferidos porque não tinham infraestruturas que fossem inclusivas e facilitassem a mobilidade em cadeira de rodas. Algo parecido se passou com Patricia Agirre, mas noutro canto do país: em Mindo.

O seu avô usou cadeira de rodas durante os seus últimos anos de vida, através dele apercebeu-se do difícil que é poder disfrutar com a sua família do tempo livre em outros lugares turísticos.

Ela abriu o hostel Birdplanet. Conta com uma rampa na sala de jantar  e um quarto adaptado. A Pousada faz turismo inclusivo há um ano. Especializa-se em cuidados a pessoas com deficiência do estrangeiro. Por mês recebe 8 pessoas, em média.

Pablo Marañón hospeda  a mesma quantidade na sua Pousada Huasquila Amazon Lodge. Está na província de Napo. Conta com sete quartos equipados, que foram construídas há cinco anos, desde logo se evidenciou a necessidade de ter uma infraestrutura inclusiva. Os viajantes chegavam e não tinham comunidades. Além disso os caminhos foram adaptados para circularem pessoas com incapacidade visual.

Segundo o Ministério do Turismo, uma das razões pelas quais o sector se virou mais para o Turismo inclusivo foi a procura.

Num relatório publicado em 2012 por portfólio, especifica-se que cerca de 6 milhões de pessoas com alguma incapacidade viajam anualmente por motivos turísticos e recreativos a uma escala Mundial. Além disso. Calcula-se que dos 125 milhões de pessoas que procuram este serviço na Europa, 70% deles têm recursos financeiros para viajar frequentemente para o estrangeiro.

Atualmente está a desenvolver-se um planeamento estratégico de Turismo Acessível, para conhecer o número de turista com incapacidade que se movimentam no Equador e o número de  lugares acessíveis.

O estudo está a fazer-se nas províncias de Imbabura, Pichicha, Tungurahua, Napo e Guayas, segundo Pamela Verde, técnica da Área  de Direção de produtos e Inovação. Estará pronto em novembro.

Fontes:  ” El Comercio”

                TurismoAdaptado

“Avante!”, a event for All

Versão Portuguesa

Its taking place this weekend, on September 5th, 6th and 7th at Quinta da Atalaia, Amora, Seixal, the Festa do  Avante . One of the biggest cultural events in Portugal. Also itaccessible to all.


The  Festa do Avante  isorganized by the Portuguese Communist Party (PCP) with a strong volunteer component, but make no mistakethose who think this partyis only for communists. This event is for All. During the three days of the eventyou can watch plays, performances of folk dancing, music concerts andsporting events.


Since its begining , the organization of Avante has always sought to create the best conditions for the access of people with disabilities, particularly with the construction of access ramps to WC’s and the various existing spaces.

Inclusive sports  .

In Avante there is also adapted sports. Every year about 15 thousand atheletsparticipate in activities ranging from Boccia, pass through  to chess,karate and Goalball.

Access to Festa do Avante

There is a shuttle bus adapted in collaboration with different entities from various places (Lisbon, Almada and Seixal) Party up thereand parking places nearby, from which it is possible to access the inside inthis adapted vehicles.

For more information call 212 224 000.

Follow  also this link.

Special thanks:

Paulo Loya – Fests do Avante organization

Sources:

 Paulo Loya

 “Plural e Singular” Magazine, nº7, 2014

 Related Videos
 

 

" Avante!", uma festa para Todos.

English Version

 
Está a decorrer este fim de semana, 5,6 e 7 de Setembro na Quinta da Atalaia, Amora, no Seixal, a festa do Avante. Um dos maiores eventos  culturais em Portugal. Também ele acessível a Todos.



A Festa do Avante é organizada pelo Partido Comunista Português (PCP)com uma forte componente de voluntariado, mas engane-se quem pensa que esta festa é só para comunistas. Este evento é para Todos. Durante os três dias  do evento é possível assistir a  peças de teatro, atuações de ranchos folclóricos, concertos de música e provas desportivas.

 Desde o seu inicio, a organização da Festa do Avante sempre tem procurado criar as melhores condições , para o acesso de pessoas com deficiência, nomeadamente com a construção de rampas de acesso aos sanitários e aos diversos espaços existentes.

Desporto inclusivo.

 Na Festa do Avante também existe desporto adaptado. Todos os anos cerca de 15 mil desportistas participam em atividades que vão do Boccia, passam pelo xadrez, Karaté e Goalball.

 

Acessos ao Recinto da Festa

 

Existe um serviço de autocarro adaptado, em colaboração com diferentes entidades, a partir de vários locais (Lisboa, Almada e Seixal) até há Festa e locais de estacionamento nas imediações, a partir dos quais é possível aceder ao interior numa dessa viaturas adaptadas.
 
 Para mais informações ligue 212224000.


Siga também esta ligação

 

Agradecimentos:

Paulo Loya – Organização da Festa do Avante

Fontes:

 Paulo Loya

Revista Plural e Singular, nº7, 2014

Videos Relacionados